Tagged DIA 1

ALMANAQUE - Marianne Engedal - Entressonho

Janeiro: ENTRESSONHO

Na génese de um novo ano, urge a vontade de fazer mais, melhor, com intrepidez e sem receios. É hora certeira para derrubar medos com intrepidez e desviar maleitas do coração. É quando a força mais profunda surge e se mantém infinita, enquanto construímos cá fora o que aqui dentro se edificou tempos antes. Neste #ENTRESSONHO de…

ALMANAQUE - Forma e Função - André da Loba

Novembro: FORMA & FUNÇÃO

Pensa-se em arquitectura quando a forma obedece à função e os ornamentos ficam de parte num edifício moderno. Este é um pensamento dos anos 30, proferido pelo arquitecto Louis Sullivan, o pai dos arranha-céus, que se estendeu até aos dias de hoje como mote de muitos arquitectos e designers, espelhado em objectos de pequena e…

ALMANAQUE - Mariana, a Miserável

Outubro: AMBIVALÊNCIA

Das calêndulas em flor à brisa que sopra mais fresca, este é o mês dos reencontros e das boas-vindas merecidas a uma nova estação do ano. O adeus aos dias quentes embate de frente com o receber de um novo capítulo sazonal. Também os sentimentos se redimem e os casacos abandonam os armários, as folhas…

ALMANAQUE - Sílvia Rodrigues - Ideia Fixa

Setembro: IDEIA FIXA

Surgem como relâmpagos, em simultâneo com outras ou solitárias, exigindo que sejam postas em prática naquele momento, sem mais delongas. As ideias são representações do que queremos, do que visualizamos, do que abala os espíritos e os sonhos constantes. Setembro chega como um poço sem fundo de ideias e metas – um verdadeiro recomeçar para…

ALMANAQUE - Capa - Joana Raimundo

Agosto: A GOSTO

Em Agosto, a nossa cidade dorme. Talvez não outras, talvez não todas, talvez não a toda a hora. O som cálido das cigarras entorpece os fins de tarde na esplanada do miradouro, no jardim daquele amigo que tem tanta sorte em ter um jardim, no parque florido, à beira-mar. Nos confins nocturnos dos céus que não…

ALMANAQUE - BEIRA-MAR

Julho: BEIRA-MAR

Do alto da nossa vontade de consumir mil verões num só dia, há a contraparte que, a bem da verdade, complementa sem destruir. Falamos do mar, de suas qualidades e índole altruísta. Existe para todos, como o céu e a terra, arrastando-se e perfazendo caminho por entre montanhas, penínsulas, estuários e ilhas. À beira-mar, ganha-se vida,…

ALMANAQUE - CAPA - Junho 2016

Junho: PREÂMBULO

Há algo de agridoce nos ares de Junho: a calmaria das temperaturas que teimam em subir aos magotes engalfinhada nas brisas frescas de um qualquer final de tarde amistoso. Somos indelevelmente brindados por um sentimento de inícios e de reinvocações, como se de um PREÂMBULO se tratasse. Interessa-nos explorar os bastidores de algo extraordinário ou…

ALMANAQUE - CAPA - dia 1 - Abril 2016

Abril: e na tela da água o brilho do sol

No mês em que o sol renasce da penumbra invernal, também a chuva, ciente do seu lugar cativo na fila da frente, faz aparições de última hora para nos brindar com a frescura de uma limpeza a fundo. Abril é assim mesmo, dono do seu nariz, rigoroso, um mês luminoso por excelência e o primeiro…

ALMANAQUE - Março

Março: bordando biombos de seda

Em Março, o sol aquece os corpos e faz esquecer o frio nos ossos, mesmo que por breves instantes. Renasce a vontade de sentir a magia dos dias longos, de fazer mais e melhor. Sintamos de novo, então, o poder da estrela central do nosso sistema solar e escalemos os degraus necessários para que os…

Janeiro geoso traz um ano formoso

O começo de um novo ano transporta consigo, de todas as vezes, uma urgência de resolução e de espíritos renovados, de inquietações mais fortes e desejos-que-desta-vez-se-concretizarão. Também por aqui este sentimento se abateu sobre nós, ainda que nas mais variadas, distintas e indescritíveis formas. Começamos por dar um salto ao Porto e ao BOP Café com a…