O questionário de Proust: Cláudia Lucas Chéu

Marcel Proust respondeu a um questionário sobre a sua personalidade de forma tão entusiástica que foi este o nome que ficou para sempre associado ao mais famoso interrogatório de vaidades. Desta vez, tratamos por tu e adaptamos 20 questões à medida das nossas vontades.


Cláudia Lucas Chéu nasceu em Lisboa, corria o ano de 1978. Escreve, encena, dá o nome e a carne aos suores de um corpo escrito. Colabora com a Revista Café com Letras e com a revista digital Delas, entre outras publicações. É co-fundadora do Teatro Nacional21 e das Edições Guilhotina – e a lista de feitos não termina aqui.


A tua característica mais vincada
Resiliência.

A tua ideia de felicidade
Não tenho nenhuma ideia pré-feita. Mas são normalmente coisas simples: comer pêssegos na cama, ver os que amo a rir e rirmos todos, descobrir um livro que seja wunderbar e lê-lo de seguida e andar às cavalitas pela cidade, de madrugada.

A tua ideia de infortúnio
Perder, seja o que for.

O que aprecias mais nos que te são próximos
Que estejam satisfeitos e me façam rir.

O teu maior medo
Não dar conta de tudo. Adoecer.

A tua maior extravagância
Livros e malas.

Se pudesses perdoar uma coisa em ti, o que seria?
As vezes em que fui intransigente com as minhas merdas.

Que palavra ou frase proferes em demasia?
É estranho.

O teu maior arrependimento
Aquele Croata, lindíssimo, que deixei escapar num encontro de teatro na Roménia.

Um escritor que admires
Gonçalo M. Tavares e Michel Houellebecq.

O que mais odeias
Mentiras. E isto não é um cliché, sou mesmo alérgica e intolerante.

O teu maior feito
Ser mãe (está a ser).

Se morresses hoje e pudesses voltar como pessoa, animal ou objecto, o que serias?
Um cão, sem dúvida, com um dono impecável que vivesse numa quinta com espaço para correr. E com muitas compinchas cadelas, claro.

Onde gostarias de viver
Em Lisboa, onde vivo. Sou uma privilegiada.

O teu hobby preferido
Dormir. Estou a falar a sério.

A qualidade que mais admiras num homem
Inteligência, sentido de humor e weirdness.

A qualidade que mais admiras numa mulher
Same.

O que mais valorizas nos teus amigos
Same. 🙂

Os teus heróis na vida real
O meu pai, o Slavoj Žižek e todas as mães trabalhadoras.

O teu propósito nesta vida
Ainda estou para ver se algum dia perceberei.

Foto ⓒ Cláudia Lucas Chéu

Leave a comment