Les Filles: amor à primeira vista

Todos sabemos como funciona aquele amor que arrebate no primeiro olhar. Chamemos-lhe paixão, um aguçar do mais íntimo desejo, o tenho-mesmo-de-ter.

Talvez seja assim que o duo Joana e Maria João, amigas de longa data e criadoras da Les Filles, quer mostrar ao país – e ao mundo – como se sentem em relação aos designers e peças que escolhem para esta loja online um pouco diferente do que se vê por aí.

Trata-se de um processo de curadoria que reúne no mesmo espaço online a selecção sofisticada das peças criadas por designers que não são tão conhecidos pelas massas ou cujo acesso é dificultado por taxas alfandegárias de bradar aos céus. «Achávamos que fazia falta algo deste género e que poderíamos colmatar essa falha».

ALMANAQUE - Les Filles

A Maria João é do Porto e a Joana é de Lisboa, mas conheceram-se no curso de Design de Moda da Faculdade de Arquitectura de Lisboa. Depois de ambas tirarem um curso de maquilhagem com Antónia Rosa, Joana partiu para Londres para tirar um Bachelor of Arts nessa área e Maria João deixou-se ficar para completar um mestrado em História de Arte Moderna, tendo trabalhado também no MUDE como assistente de sala e, depois disso, como account manager numa agência de publicidade durante cerca de três anos, «mas não era bem aquilo», remata.

❝ Queremos que as pessoas entrem no nosso site e que fiquem encantadas pelo nosso universo ❞

A história destas jeunes filles começa exactamente onde outras tantas começam: na vontade de fazer mais e melhor. Nas suas viagens ao Porto, Maria João percebia rapidamente que havia pouco por onde escolher no que diz respeito a peças de qualidade e intemporais, com um toque especial que as torna únicas.

ALMANAQUE - Les Filles

Tod@s queremos ter peças assim, que nos deixem a pensar nelas até voltarmos a debruçar o olhar nos contornos, nos acabamentos, nas texturas.

Esta exclusividade de que falo não é de todo desconhecida para este duo, já que os nomes que vemos expostos no site são fruto desta tal escolha a dedo de que tanto se orgulham. É praticamente a imagem de marca da Les Filles e é bom que assim seja, pois é assim que vai atrair a atenção de quem procura algo único.

ALMANAQUE - Les Filles

Vale, por isso, a pena conhecer cada um deles: a australiana Edwina Sinclair criou a SOOT em 2012, uma marca que dá valor à silhueta e à forma acima de todas as coisas, cujas peças são concebidas localmente; fundada em 2007 por Mikako Ishii, AMBALI é uma abordagem ready-to-wear para todas as mulheres com inspiração nos anos 50.

Segue-se o estilo inconfundível da americana RACHEL ANTONOFF, cunhada de Lena Dunham, sua fiel seguidora no que toca a roupa; a joalharia contemporânea chega-nos através de ANDRESGALLARDO e também de BENEDICTE, de Bénédicte Mouret, deixando os lenços irreverentes para a escocesa Karen Mabon e as malas mais queridas para Williams Handmade.

ALMANAQUE - Les Filles

E o lado português está muito bem representado pelo portuense Pedro Neto e pelos Marques’Almeida – a quem se juntará em breve Alexandra Moura.

Os próximos passos fazem-se firmes e com vontade de conquistar o mundo: «Gostávamos de ter uma linha nossa. Tem de ser uma coisa bem feita e bem pensada, portanto, quem sabe nos próximos anos? É algo que queremos mesmo fazer, mas tem de ser com calma. E queremos que as pessoas entrem no nosso site e que fiquem encantadas pelo nosso universo».

Se há lugar em Lisboa que complementa as personalidades entusiastas e brilhantes de Joana e de Maria João é a nova loja-cafetaria da Montana Lisboa e da Underdogs Public Art Store, no Cais Sodré. Entre a azáfama de uma rua em obras e a tranquilidade do rio Tejo, estende-se um corredor inigualável a qualquer outro na cidade. Esta junção de sinergias fez todo o sentido, acreditam Miguel Negretti e Alexandre Farto – vulgo Vhils. Foi aqui que encontrei as meninas de sonho da Les Filles para estas fotos que aqui vêem. Não deixem de experimentar os bagels incríveis, as cervejas artesanais e o café.

Fotos (c) Soraia Martins

Leave a comment