Leão, o Africano, um livro de Amin Maalouf

Da minha boca ouvirás o árabe, o turco, o castelhano, o berbere, o hebraico, o latim e o italiano vulgar, pois todas as linguagens, todas as orações me pertencem. Mas eu não pertenço a nenhuma. Não pertenço senão a Deus e à terra, e é a eles que num dia próximo tornarei. (…) Muçulmano, judeu ou cristão, deverão tomar-te como és, ou perder-te. Quando o espírito dos homens te parecer estreito, diz a ti próprio que a terra de Deus é vasta, e vastas as Suas mãos e o Seu coração.*

ALMANAQUE - Leão, o Africano - Livro

Passaram-se já 30 anos desde a primeira publicação de Leão, o Africano e, no entanto, a sua leitura apresenta-se-nos hoje urgente, nesta época em que as mentes, os corações e as expectativas precisam de ser aplacados por palavras de sabedoria, de conhecimento e de amor para se fazer o caminho da tolerância.

Neste romance, Amin Maalouf coloca Hassan as-Wazzan a escrever a sua autobiografia, contando o périplo da sua vida, entre 1488 e 1527, numa viagem que se inicia em Granada, que faz escala em vários pontos ao longo do Mediterrâneo e que termina em Tunes.

Esta personagem de Maalouf existiu mesmo e ficou conhecido por Leão, o Africano: um homem que foi ganhando posição e notoriedade como diplomata e geógrafo e que deixou alguns escritos, sendo o mais célebre Descrição de África, uma obra em vários volumes que constituiu a principal fonte de informação “científica” sobre o continente até às expedições modernas do século XIX. Compilou ainda dicionários e gramáticas de árabe, hebraico e latim, permitindo aproximar povos e facilitar as relações entre si.

ALMANAQUE - Leão, o Africano - Livro

Talvez porque as figuras e os temas da História sejam já de si complexos e repletos de perspectivas, tantas quantas os reflexos de um prisma (de vidro), o estilo de Maalouf é de grande simplicidade, quer nos recursos da linguagem e da escrita como na abordagem e no tom. E é este dom que surpreende e que cativa a leitura, tornando-nos viajantes do tempo e ouvintes em vez de leitores.

* in Leão, o Africano, de Amin Maalouf, Quetzal Editores, 3ª edição 2011. Tradução de Maria da Graça Morais Sarmento.

Fotos (c) Colectivo 71.86

Leave a comment