Janeiro: ENTRESSONHO

Na génese de um novo ano, urge a vontade de fazer mais, melhor, com intrepidez e sem receios. É hora certeira para derrubar medos com intrepidez e desviar maleitas do coração. É quando a força mais profunda surge e se mantém infinita, enquanto construímos cá fora o que aqui dentro se edificou tempos antes. Neste #ENTRESSONHO de realidade e devaneio, o compasso acelerou e agora já nada nos fará parar. Bem-vindos a mais 365 dias de esperança e de brados ao céu.

Desta vez, olhamos para o cartaz do NOS Primavera Sound e sonhamos mais um pouco com os nomes apresentados para esta edição, sem esquecer, claro está, a maneira mais-que-perfeita com que os mostraram ao mundo.

Seguindo o caminho do que parece irreal mas não é, mostramo-vos a nova loja em Melbourne, Austrália, da Monk House Design, projectada e decorada pelo Flack Studio, não sem antes viajarmos até ao mundo de Carla Fuentes, ilustradora freelancer de raizes espanholas que tem vindo a encantar pelo traço pesada, mas muito humano e colorido de rostos sem fim.

O que é que a Susanne Kaufmann, criadora dos produtos de beleza de luxo em nome próprio, e Portugal? Muita coisa. Acima de tudo, o olhar deve sentir-se forçado a virar para a ilustração de Marianne Engedal, nossa ilustre convidada para a capa deste entressonho que vos acolhe de braços abertos.


de profundis amamos

(…)

Não faz mal abracem-me
os teus olhos
de extremo a extremo azuis
vai ser assim durante muito tempo
decorrerão muitos séculos antes de nós
mas não te importes
não te importes
muito
nós só temos a ver
com o presente
perfeito
corsários de olhos de gato intransponível
maravilhados maravilhosos únicos
nem pretérito nem futuro tem
o estranho verbo nosso

Mário Cesariny in Pena Capital, Assírio & Alvim, 2004

Leave a comment