Un cappuccino, per favore: Hello, Kristof

Não poderia deixar passar este espaço em branco, mesmo que a minha busca pelo cappuccino perfeito se mantenha bem acesa. Falo-vos do Hello, Kristof, um recanto limpo de ruído visual a meio da Rua Poço dos Negros, em Lisboa. A saga continua neste recanto.

ALMANAQUE - Hello, Kristof - Cappuccino

ALMANAQUE - Hello, Kristof - Cappuccino

Ricardo Galésio é português de gema, mas uma ida a Nova Iorque e a paixão pelos traços escandinavos ditaram a abertura do Hello, Kristof. Ao primeiro passo no seu interior, não sem antes espreitarmos pela montra bem identificada, sentimos o aroma a café, que se eleva como principal ingrediente. O que me atraiu, porém, foi a possibilidade de continuar a minha saga por aquele cappuccino perfeito, bebida que se serve com gosto aqui.

ALMANAQUE - Hello, Kristof - Cappuccino

ALMANAQUE - Hello, Kristof - Cappuccino

Tendo café 100% arábica como base, o cappuccino do Hello, Kristof não é mais do que uma daquelas pérolas raras que se devolvem ao oceano de mãos trémulas, tal é a delicadeza desse ser inanimado que nos enche a alma. A luz que entra por estas paredes adentro é como um suspiro de alívio num dia não tão bom e a decoração assim o dita também: madeiras claras, ferro fundido, paredes muito nuas – complementadas por revistas de vários géneros que fazem parte do conceito aqui presente.

O cappuccino em si transparecia a suavidade que procuro na espuma e a textura condensada que espero sempre do que resta sob essa primeira camada que se afunda no café. O aroma sobe e eleva-se, como que a pedir para ser degustado. Ainda que não dê a minha busca por terminada, posso afirmar coerentemente que pouco faltou para tal.

Fotos (c) Soraia Martins

Leave a comment